Coroa de Vento
Fazenda Barinas
Origem Araxá, MG
Produtor Marcio Borges Castro Alves e Tiago Castro Alves
Variedade Topázio
Processo de produção Natural
Perfil de torra Média
Sabor Notas de frutas vermelhas, caramelo com leve toque de noz moscada e canela
Acidez Média málica e cítrica
Finalização Doce e longa de maçã

Conheça o produtor por trás desse café

Sobre a Fazenda

Tiago é o tetraneto da Dona Tereza, que em 1850 começou com o trabalho na fazenda. A terra lhe foi concedida mediante uma Carta de Sesmarias, de Mariana.

Tiago e seu pai, Márcio, têm orgulho do carro de boi que trouxe a Dona Tereza pela primeira vez para as terras e que fica na entrada da fazenda, como uma lembrança do que originou tudo o que eles têm hoje.

A Fazenda está localizada na região do Cerrado Mineiro, no município de Araxá, uma antiga cidade indígena cujo nome significa onde se vê o sol primeiro.

Seguindo as origens da cidade, Márcio veio a batizar a fazenda de Barinas, que também é um nome indígena e que significa onde o vento sopra mais forte.

Composta por terras vulcânicas, a fazenda Barinas é o antigo lar de dinossauros e de outras civilizações com muitos antepassados e histórias.

Mas foi em 1950 que o avô do Tiago começou a plantar cafés, como forma de subsistência. Em 2000, seu pai, Márcio, começa a assumir a produção e o Tiago chega em 2010, recomprando partes de terras que havia sido vendidas antes.

Junto com essas terras, voltam também para a fazenda, antigos funcionários que já trabalhavam com a família no passado, trazendo consigo, sua expertise e acrescentando mais ainda na técnica de produção dos cafés.

Desde 2012 os cafés da Fazenda Barinas vem se destacando, ficando na lista entre os 20 melhores cafés do concurso Cup of Excellence, além de colecionar pódios nos concursos da região. Foi o segundo melhor café do Cerrado Mineiro de 2018 e terceiro em 2019.

Não só isso, a Fazenda Barinas se destaca também pela constância na produção de qualidade. Ano após ano consegue fazer bons cafés. O trabalho no terreiro, onde faz a secagem no sol dos cafés, é um grande diferencial da fazenda para manter a qualidade da produção.

Tiago e Márcio trabalham desde a produção de mudas, testando novas variedades para achar as melhores de produtividade e qualidade de bebida. Hoje possui uma gama de variedades, como o topázio, arara, obatã, etc. Além disso, a fazenda Barinas possui, campos experimentais que avaliam as melhores variedades para produção atrelado a qualidade sensorial dos lotes produzidos.

Como um tributo que seu avô fez quando começou a plantação de cafés, Tiago está comprometido em devolver o que tanto já lhe foi dado por ela. Já plantou mais de 30 mil árvores nativas da região, construiu corredores ecológicos para os animais e está fazendo o cuidado ativo de manutenção e prevenção nas nascentes de água. Hoje já é possível ver novamente animais selvagens na região passando por lá.

A produção da Fazenda Barinas segue rigorosamente as especificações e auditoria da Rain Forest e UTZ, garantindo uma produção reconhecida por boas práticas nacionalmente e internacionalmente. E não pára por aí. A reutilização da água da lavagem dos grãos e processamento da via úmida, já é rotina para na Fazenda Barinas. Além disso, as construções feitas na fazenda são quase todas de materiais de demolição, o que acaba, ainda, por dar um ar muito charmoso para a fazenda.

Tiago e seu pai, Márcio, estão em constante evolução no processo de produção de cafés especiais. A Fazenda Barinas sedia anualmente o encontro de Q Graders, onde mais de 20 provadores de todas as regiões produtoras de café do Brasil se reúnem para provar e discutir a qualidade da safra, processamentos e o cenário nacional da cafeicultura, que já está indo para sua quinta edição.

Um grande trabalho em prol da produção e consumo de cafés de qualidade no Brasil.

Sobre o Café

Da variedade Topázio, o lote escolhido passou pelo processamento natural, com secagem natural ao sol. Um grande diferencial dos cafés produzidos e processados na Fazenda Barinas, que trabalha com recursos que a própria natureza concede.

O lote escolhido possui fragrância e aroma de caramelo, que se mantém no sabor, combinado, ainda, com notas de frutas vermelhas leve toque de noz moscada e canela. A acidez é média, málica e cítrica. Tem corpo médio e finalização doce e longa com notas de maçã.

Veja abaixo as certificações que essa fazenda possui:

Utz Bsca Rainforest

E aí? Gostou do que viu?

Não perca tempo e adquira já o melhor café que você já fez.

Quero esse café R$ 29,80

Forma de pagamento

Mastercard
Visa
Amex
Elo
Diners
Hiper